17 setembro 2012

Não é pra entender,nem eu mesma entendo!

[...]Foi como se meu mundo comessace a desabar.A noite veio com um dor profunda do "até nunca mais",
e a cada estrela,uma lágrima.
No peito um vazio,um arrombo,como se estivesse levado uma surra de palavras no momento em que me vi fraca e sem razão.
Tudo oque me faz falta,um dia já me pertenceu e hoje já não mais fará parte do meu mundo...
A saudade não dói mais que uma perda.
Quero uma mão na qual posso segurar e não me sentir caindo do penhasco onde achei que era o alto do meu sonho.
-Oque dizer as pessoas?
Não disse.
Preferi me calar,e resolvi calar meu coração.
E se eu desmorar?
Não terei mais forças...Elas estão se esgotando,estão chegando ao seu final.E no momento,não há nada que se possa a fazer...
Se foi,mas eu disse EU TE AMO,como se fosse:Fica eu preciso de você e do seu sorriso,é oque me mantém de pé.
Depois de um longo tempo acordada sem forças até para pensar,adormeci.
E lá estava você,me esperando como se viesse ao momento em que pedi uma mão.
Eu as segurei.
Segui em frente junto a você,e nos meus sonhos encontrei novas perspectivas,me surgiram novas esperanças.
Amanheceu,acordei e voltei a viver.Novamente sem um novo rumo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário