12 maio 2013

Nascido para morrer...

Éramos só nós três...Um triste fim,de um de nós.
Sobramos só eu e você.Superamos.E um dia eu tive que partir.
Sim,eu o deixei.Não poderia lhe trazer pra um lugar que não era o seu.De alguma forma,
eu saberia que você não ia se acostumar.Então eu o deixei...
Em algumas noites,você me chamava pela janela do meu quarto e eu ia te ver...Eu e meus pais
ficáva-mos maravilhados com sua esperteza..
Era o cão mais inteligente...Um vira lata mais amado e mais querido.
Mais esperto do que aqueles treinados para obedecer...
Chamado pela minha mãe,muitas vezes de filho.
Era o cão mais amigo,mais companheiro,mesmo às vezes eu chorando,querendo que ficasse ao
meu lado,e ele saía correndo atrás dos cavalos brincando...
A única certeza que tenho da vida,é que somos nascidos para morrer.
Um dia partiremos...Vocês se foram.Um dia será eu.Só espero que algo sobrenatural
faça eu os ver novamente...A vida sempre nos machuca.Quando estamos indo bem,ela nos faz tropeçar.
As vezes até nos faz cair.Sempre está tentando nos derrubar.
Mas só o que deixo cair agora,são lágrimas.Mas com tudo...Deixo também escapar um sorriso.Por que o que a vida nos deixa,e que vale a pena,são as lembranças.As memórias quase perfeitas nos restam,para que no fim,possamos ficar com algo que não seja simplesmente a dor.E o céu azul a cada dia recebe novas almas,novas visitas,novos moradores...E a cada dia,o céu azul fica rico deixando o mundo cada vez mais pobre.Coisas boas se vão,enquanto as ruins vão prevalecendo.É injusto,mas a vida é assim.
Algumas palavras na qual escrevo,também me parecem injustas mas não deixo de dizê-las,por que o que me importa não é agradar,o importante pra mim é deixar que minhas palavras se tornem meu tesouro,que um dia deixarei aqui,antes de ir morar nesse imenso céu azul.Pois minhas certezas caíram,e só me restou uma,da  qual ninguém me tira e nem inventa.Certeza da qual ninguém pode negar e talvez nem superar.Nascido para morrer.
                                    Natalina Paranhos.

Um comentário:

  1. Oi Naty, tudo bom?
    Nossa, adorei seu texto. Eu tenho um, menor, com a mesma temática
    que eu criei logo assim que minha cachorrinha morreu..
    Ainda sinto muito, muito, a falta dela :(
    Tem promoção e post novo no blog
    endless-poem.blogspot.com.br
    Beijão

    ResponderExcluir