31 agosto 2014

O doce fardo de ser necessário.


[...] Eu quero apenas uma solução.Talvez eu tenha deixado de almejar a certeza.
Certezas nas quais não tenho,pois tudo é imprevisível.Estou cansada,mentalmente e também,fisicamente.É difícil conviver com outras pessoas.Minha maior dificuldade é ser obsessiva em querer entendê-las.Eu poderia apenas aceitar suas ações e reações,mas não,quero saber o por quê de cada ação e o que levou essa pessoa a fazer.Eu quero entender o que não é possível chegar à uma conclusão.Eu quero invadir o âmago de um indivíduo e revirar para achar uma resposta.
Eu me reviro,me procuro e não me acho.Ando com problemas sérios.Sérios de mais que não me permite sorrir.Eu já não sei o que fazer.Aqueles sonhos que criei,se foram.Isso me dói de uma forma inexplicável.Na gaveta do quarto,diários largados.E meu livro,incompleto.Assim como eu.
Ando buscando o quebra-cabeça da minha vida mas são poucas as partes que tenho.Acho que por mais triste e dolorosa que a vida seja,as conquistas se tornam mais saborosas.Posso não ser a melhor pessoa do mundo,mas sou justa.Amo justiça.Vou continuar me levando para longe.Sei que quem sonha algo muito grande,as dificuldades são maiores ainda.Mas nada que me assuste ao ponto de me fazer desistir.Almejando um dia estar longe, longe daqui,talvez ao menos por uns tempos.Apenas para descansar meus olhos e meus ouvidos,de coisas que vejo e não gosto e de coisas que ouço e não me convém.Queria mesmo era sair por aí,sem rumo ou direção.Apenas sair,cruzar estradas e rodovias sem fim.Ver o pôr do sol ao amanhecer.Dormir em camas diferentes.Talvez até tentar entender as entrelinhas da vida.As minhas memórias quase perfeitas vão seguindo um rumo no qual jamais imaginei.Assim como,tudo que sonhei até agora,só estão em papéis.
Amo minhas memórias, mas elas têm um jeito de me controlar às vezes.
Ainda tenho registros dos meus planos.Aqueles que havia feito para minha vida.
Planos dos quais,levarei até o meu último suspiro...

       

Nenhum comentário:

Postar um comentário